O desbravamento, em 1877, foi feito pelo padre José Nicolino de Souza, nascido em Faro, onde fundou uma povoação, denominando-a Uruã-Tapera ou Mura-Tapera que, através da Lei nº 1.288, de 11 de dezembro de 1886, foi elevada à categoria de freguesia, com o nome de Santo Antonio do Uruã - Tapera, pelo Dr. Joaquim da Costa Barradas, presidente da Província do Pará e desembargador do Maranhão.
  Em 9 de junho de 1894, no governo de Lauro Sodré, foi elevado à categoria de vila, já com o nome de Oriximiná, e instalado o Município, no dia 5 de dezembro do mesmo ano, sendo nomeado para prefeito o senhor Pedro Carlos de Oliveira.Com a Lei nº 729, de 3 de abril de 1900, no governo de Paes de Carvalho, por motivos políticos. Oriximiná foi extinto. Seu território deveria ser dividido entre os Municípios de Faro e Óbidos, o que, na realidade, não aconteceu pelo fato de o município ficar anexado somente ao de Óbidos.Com a extinção do Município e sua anexação a Óbidos, Oriximiná sofreu muito em seu desenvolvimento, até que, em 24 de dezembro de 1934, com a Lei nº 1.442, o Município reconquistou sua autonomia com um território menor do que aquele criado na época do governo Lauro Sodré.
  O nome Oriximiná é de origem indígena, de procedência tupi, que significa “o macho da abelha”, o zangão. No entanto, Frei Protásio Frinckel, conhecedor da região e de seus diversos núcleos de habitantes primitivos, inclina-se pela derivação de Eruzu-M’Na. que significa “muitas Praias”.

  Padre José Nicolino de Souza, o grande propulsor de nossa História

  As primeiras notícias de que o Padre José Nicolino de Souza seria filho de índios foram ditas pelo Dr. Tocantins, em um de seus trabalhos. José Nicolino de Souza nasceu à margem do rio Jamundá (Nhamundá), na vila de Faro, a 10 de agosto de 1836.Em 1843, alguns exploradores percorreram o Rio Nhamundá, e chegaram à Serra da Lua, de onde levaram um curumim e uma cunhantã, os quais foram adotados por uma família ilustre, a "Queiroz de Souza". O curumim era José Nicolino (ou Nicolino José) de Souza.Acredita-se, então, que José Nicolino de Souza começou a estudar em Manaus, onde terminou seus estudos primários. Mostrando-se religioso, ingressou no curso secundário, seguindo depois para um convento na França.Nesse convento, foi contemporâneo de um velho Abade que esteve no Brasil, de onde fugiu durante a revolta dos cabanos (a Cabanagem) no Pará.
  Do conhecimento havido entre os dois religiosos gerou uma grande amizade e desta, as conversas íntimas, até que o velho Abade doou ao Padre Nicolino um roteiro da viagem de sua fuga pelo rio Erepecuru, dando-lhe a informação da existência de uma igreja de ouro, às margens daquele rio.
  Após voltar ao Brasil, serviu a região em vários lugares e, por fim, radicou-se em Faro, onde exerceu com zelo o sacerdócio, sendo um pároco estimado por seus paroquianos e muito cauteloso em seus deveres.Em princípios de 1877 resolveu fazer uma viagem no rio Trombetas, seguindo o roteiro ofertado pelo Abade.Foi nessa expedição que, a 13 de junho, o Padre fundou a povoação, a qual deu o nome de Santo Antônio de Uruá-Tapera ou Mura-Tapera, esta que é hoje Oriximiná.
 Seguindo viagem, ao se aproximar de uma das terras alta ORIXIMINAONLINE | .:O Portal de Oriximiná:.

  O desbravamento, em 1877, foi feito pelo padre José Nicolino de Souza, nascido em Faro, onde fundou uma povoação, denominando-a Uruã-Tapera ou Mura-Tapera que, através da Lei nº 1.288, de 11 de dezembro de 1886, foi elevada à categoria de freguesia, com o nome de Santo Antonio do Uruã - Tapera, pelo Dr. Joaquim da Costa Barradas, presidente da Província do Pará e desembargador do Maranhão.
  Em 9 de junho de 1894, no governo de Lauro Sodré, foi elevado à categoria de vila, já com o nome de Oriximiná, e instalado o Município, no dia 5 de dezembro do mesmo ano, sendo nomeado para prefeito o senhor Pedro Carlos de Oliveira.Com a Lei nº 729, de 3 de abril de 1900, no governo de Paes de Carvalho, por motivos políticos. Oriximiná foi extinto. Seu território deveria ser dividido entre os Municípios de Faro e Óbidos, o que, na realidade, não aconteceu pelo fato de o município ficar anexado somente ao de Óbidos.Com a extinção do Município e sua anexação a Óbidos, Oriximiná sofreu muito em seu desenvolvimento, até que, em 24 de dezembro de 1934, com a Lei nº 1.442, o Município reconquistou sua autonomia com um território menor do que aquele criado na época do governo Lauro Sodré.
  O nome Oriximiná é de origem indígena, de procedência tupi, que significa “o macho da abelha”, o zangão. No entanto, Frei Protásio Frinckel, conhecedor da região e de seus diversos núcleos de habitantes primitivos, inclina-se pela derivação de Eruzu-M’Na. que significa “muitas Praias”.

  Padre José Nicolino de Souza, o grande propulsor de nossa História

  As primeiras notícias de que o Padre José Nicolino de Souza seria filho de índios foram ditas pelo Dr. Tocantins, em um de seus trabalhos. José Nicolino de Souza nasceu à margem do rio Jamundá (Nhamundá), na vila de Faro, a 10 de agosto de 1836.Em 1843, alguns exploradores percorreram o Rio Nhamundá, e chegaram à Serra da Lua, de onde levaram um curumim e uma cunhantã, os quais foram adotados por uma família ilustre, a "Queiroz de Souza". O curumim era José Nicolino (ou Nicolino José) de Souza.Acredita-se, então, que José Nicolino de Souza começou a estudar em Manaus, onde terminou seus estudos primários. Mostrando-se religioso, ingressou no curso secundário, seguindo depois para um convento na França.Nesse convento, foi contemporâneo de um velho Abade que esteve no Brasil, de onde fugiu durante a revolta dos cabanos (a Cabanagem) no Pará.
  Do conhecimento havido entre os dois religiosos gerou uma grande amizade e desta, as conversas íntimas, até que o velho Abade doou ao Padre Nicolino um roteiro da viagem de sua fuga pelo rio Erepecuru, dando-lhe a informação da existência de uma igreja de ouro, às margens daquele rio.
  Após voltar ao Brasil, serviu a região em vários lugares e, por fim, radicou-se em Faro, onde exerceu com zelo o sacerdócio, sendo um pároco estimado por seus paroquianos e muito cauteloso em seus deveres.Em princípios de 1877 resolveu fazer uma viagem no rio Trombetas, seguindo o roteiro ofertado pelo Abade.Foi nessa expedição que, a 13 de junho, o Padre fundou a povoação, a qual deu o nome de Santo Antônio de Uruá-Tapera ou Mura-Tapera, esta que é hoje Oriximiná.
 Seguindo viagem, ao se aproximar de uma das terras altas, o Padre José Nicolino desembarcou e seguiu a pé. Disse a seus companheiros remeiros que se ele demorasse mais que o necessário, que fossem procurá-lo. E assim o fizeram, encontrando-o caído e desmaiado em frente a um paredão rochoso. Com a ajuda dos remédios da época, o Padre voltou a si.Então, a expedição voltou ao seu ponto de origem (povoação fundada) e depois para Faro, onde o Padre continuou sua vida sacerdotal até 1882, quando retornou à povoação de Santo Antônio de Uruá-Tapera até o dia 8 de dezembro, quando faleceu, aos 46 anos de idade.